AMIMT

Amimt

Verão intenso aumenta risco de sobrecarga térmica

As altas temperaturas registradas no verão são um ótimo motivo para se refrescar no mar, em rios, cachoeiras e piscinas. Por outro lado, são prejudiciais à saúde de quem trabalham em ambientes quentes, como siderúrgicas, ou em áreas rurais, onde há grande incidência solar. A sobrecarga térmica pode causar doenças, como síncope pelo calor, choque térmico, erupções cutâneas, estresse agudo, câncer de pele, câimbras, cataratas, desidratação e insolação. Por isso, os empregadores devem avaliar a exposição ocupacional ao calor e implantar ações preventivas que visam garantir a integridade física dos trabalhadores.

O Brasil é o primeiro país do mundo a disponibilizar um aplicativo com capacidade de monitorar a sobrecarga térmica dos trabalhadores rurais em todo o território. Gratuito, o software, desenvolvido pela Fundacentro, pode ser acessado no site da instituição, clicando aqui.  Em poucos minutos, o usuário consegue calcular a exposição diária, mensal ou anual ao calor. Os dados podem ser utilizados para a introdução ou modificação das medidas de controle.

As empresas que funcionam em escritórios devem adotar medidas para deixar os ambientes termicamente mais confortáveis. Ar condicionado e ventiladores podem ajudar. Outra sugestão é liberar o uso de trajes mais leves, como, por exemplo, bermudas.

Cinco recomendações para prevenir os efeitos do calor no organismo

  • Aumente a ingestão de água, mesmo sem ter sede.
  • Faça refeições leves e mais frequentes.
  • Tente permanecer em ambientes frescos e bem ventilados.
  • Evite a exposição direta ao sol, principalmente entre as 10 e as 16 horas. Caso isso não seja possível, utilize protetor solar e óculos escuros.
  • Use preferencialmente roupas de cores claras, largas e soltas.